Masp abre seu acervo de moda

 Masp abre seu acervo de moda

Campanha que celebrou os 50 anos da Rhodia no Brasil, de 1969, com vestidos estampados por artistas como Jacques Avadis, Moacyr Rocha, Fernando Martins e Manabu Mabe (Foto: Rhodia/ Divulgação)

Em jantar promovido por fashionistas, o museu exibe look feito por Salvador Dalí e peças da coleção Rhodia

Nem todos sabem, mas o Masp possui um namoro antigo com a moda – o museu já foi palco de um desfile da Dior na década de 50 e abrigou, sob o comando de Lina Bo Bardi, uma das primeiras escolas de design e tecelagem do país, o IAC, por exemplo.
Pensando em estreitar novamente a relação com o meio fashion, Juliana Sá, Amália Spinardi, Marcella Kanner e Mariana Auriemo armaram, no próximo dia 21, um jantar no 1º subsolo do museu para um seleto grupo de 100 convidados entre jornalistas, fotógrafos, estilistas, designers e empresários do meio. “A ideia é que esse seja um marco da retomada da moda como pauta fixa dentro do Masp”, pontua Amália Spinardi, uma das patronas da instituição.
Durante a ocasião, que terá cardápio comandado pelo bufet Fasano, serão expostos cinco vestidos do acervo de moda do museu – que contempla 159 looks. O mais aguardado deles? Um vestido em jersey de seda azul criado por ninguém menos que Salvador Dalí. Detalhe: a roupa não é vista pelo público há, pelo menos, 30 anos.
Os convidados também terão o privilégio de ver de perto quatro vestidos da icônica coleção da Rhodia, doada para o Masp em 1972 e exposta em 2015 na primeira mostra de moda da instituição. O vasto conjunto reúne 79 peças únicas feitas em parceria com artistas brasileiros de peso, como Nelson Leirner, Manabu Mabe e Ademir Martins, anos 50 e 60.

Manabu Mabe, Vestido de noite (Foto: Divulgação)

A nova gestão, comandada pelo diretor artístico Adriano Pedrosa desde 2014, tem o ambicioso projeto de ampliar o acervo de vestuário e montar exposições anuais e robustas de moda paralelamente às exposições de arte. “Nossa vontade é que até o final do ano tenhamos mais 30 looks dentro do acervo. Mas, para abrirmos uma exposição completa, com catálogo e tudo mais, precisamos de pelo menos 60 looks. É um projeto que demanda bastante tempo e pesquisa. Por isso esse jantar é tão importante”, acrescenta Juliana Sá, diretora de relações institucionais do Masp.
A novidade quente é que os curadores já estão em contato com estilistas e artistas contemporâneos para criarem peças exclusivas que vão incrementar o acervo do endereço. “Esse jantar também foi o jeito que encontramos para mapear pessoas e marcas para parcerias futuras e fazer essa empreitada dar certo. Queremos aumentar o repertório do museu e democratizar o acesso à moda brasileira”, finaliza Amália.
 
Edição:Robson Ouro Preto
 

Notícias relacionadas

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *