Operário morre durante manutenção de equipamento na Refinaria Abreu e Lima, em Suape

 Operário morre durante manutenção de equipamento na Refinaria Abreu e Lima, em Suape

Refinaria Abreu e Lima. Foto: Heudes Regis/ Arquivo JC Imagem

Um instrumentista terceirizado morreu, na tarde dessa segunda-feira (27), em um acidente de trabalho na Refinaria Abreu e Lima (Rnest), localizada no Complexo de Suape, em Ipojuca, Litoral Sul de Pernambuco.

De acordo com informações iniciais coletadas pela Superintendência Regional do Trabalho de Pernambuco junto à empresa QWS, para qual o terceirizado trabalhava, o acidente ocorreu durante um serviço de manutenção mecânica na unidade de geração de ar comprimido.

O acidente ocorreu por volta das 15h na refinaria. Segundo a chefe do setor de Segurança e Saúde no Trabalho da Superintendência, Simone Holmes, as causas do acidente deverão ser identificadas por investigações para que a situação não volte a se repetir.

“Quando acontecem esses acidentes, temos por obrigação analisar o que aconteceu. Fazemos levantamentos, conversas com os trabalhadores e com a empresa e levantamos o maior número de informações”, explica Simone.

Após a conclusão do trabalho de investigação, que pode levar até quatro meses, a fiscalização entrega um relatório a órgãos públicos, à família do trabalhador acidentado e ao sindicato da classe.

“Não é uma coisa muito rápida, tem muitos fatores que serão analisados. O prazo fica em torno de três a quatro meses, mas, normalmente, a gente consegue encerrar antes”, acrescentou Simone, explicando como serão feitas as apurações.

“Temos que verificar o que deu errado. Um acidente não tem uma única causa, são várias ocorrências, várias situações que levam e todos esses fatores têm que ser levantados e e apresentados. O que a gente conseguiu compreender até o momento é que foi um acidente com sistema pressurizado de tubulação”

De acordo com Simone, a empresa fica responsável por acionar a Polícia e o Instituto Médico Legal (IML).

Os auditores foram ao local nesta terça-feira (28) e podem até interditar o setor caso se verifique que ainda fornece risco de novos acidentes.

O nome e a idade do trabalhador não foram divulgados.

O que diz a Petrobras

Por meio de nota enviada à reportagem, a Petrobras, responsável pela Rnest, informou que o colaborador recebeu atendimento médico imediato no local, mas não resistiu e morreu.

A estatal confirmou que o acidente ocorreu durante atividade de manutenção de equipamento.

“A Petrobras está em contato com a QWS, para prestar apoio à família do colaborador. A companhia acompanhará o caso junto a empresa contratada e formou uma comissão para apuração da ocorrência”, informou, na nota.

A Petrobras acrescenta que as autoridades competentes foram comunicadas.

O que diz a QWS

A reportagem entrou em contato com a QWS. Até a publicação deste texto, não houve retorno da empresa.

*Da Folha de Pernambuco

Notícias relacionadas

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *