Secretaria de Turismo de Pernambuco entrega novo Forte Orange de Itamaracá

 Secretaria de Turismo de Pernambuco entrega novo Forte Orange de Itamaracá

Achados arqueológicos, encontrados na obra, estão expostos aos visitantes no novo equipamento, transformado em museu sob gestão do IPHAN

Depois de uma completa requalificação na estrutura original, do século XVII, o Governo de Pernambuco, por meio da Secretaria de Turismo, Esportes e Lazer, através do Prodetur, entregou o novo Forte Orange na Ilha de Itamaracá. Com a proposta de fomentar o turismo no Litoral Norte, a fortificação foi transformada em um museu, com exposição dos achados arqueológicos descobertos durante o período de obras. A cerimônia de inauguração do equipamento foi realizada nesta quinta-feira (2), com a participação da secretária executiva do Prodetur, Manuela Marinho, da superintendente do Iphan, Renata Borba, e do prefeito, Mosar Tato.
O Forte Orange recebeu restauro das muralhas, nas rampas de acesso aos baluartes, revestidas com pedras fabricadas manualmente, nas cercaduras de portas e janelas, com a cantaria livre de pinturas, e nas telhas das salas do museu. Durante o processo, os arqueólogos localizaram a porta de entrada do Forte Orange sob 1,2 mil toneladas de  areia no terrapleto, a casa de pólvora e a cacimba que abastecia a tropa do período holandês. Todo o material encontrado agora está exposto aos visitantes.
Todas as pedras usadas no revestimento das rampas e no piso dos baluartes, do corredor de entrada e do terrapleno (área aterrada entre a muralha e a contramuralha) foram fabricadas no canteiro de obra montado no Forte Orange. Desenterradas do entorno da edificação, as pedras foram cortadas e preparadas manualmente. As telhas canal da sala foram retiradas, lavadas e devolvidas aos locais. A contramuralha, antes escondida nas salas, está aparente em todas elas.
Nas muralhas, lavadas com água e detergente especial, foi retirado cimento de obras anteriores e aplicou biocida, substância para inibir fungos. Os organismo provocam porosidade na pedra e, consequentemente, perda de resistência. Outra medida adotada é uma contenção de rip-rap (sacos de cimento de areia) no terrapleno para evitar que a areia deslize e a muralha fique vulnerável.
Transformamos um ícone da arquitetura e da história do Estado em referência também para o turismo local. O Litoral Norte de Pernambuco ganhou mais um importante equipamento turístico, que junto a outros grandes investimentos estruturais realizados pelo Governo do Estado na região – como o Paço Municipal de Goiana e a Casa do Artesão e o Museu Histórico de Igarassu, formam um conjunto de atrativos turísticos para além do sol e mar”, ponderou a secretário executiva do Prodetur, Manuela Marinho.
Com o término da obra, orçada em R$ 11,8 milhões com recursos do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), o equipamento passa a ser gerido pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN).
 
Edição: Edu Mello

Notícias relacionadas

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *