Vitória de Santo Antão abre Semana do Meio Ambiente com lançamento do programa de arborização e reflorestamento

 Vitória de Santo Antão abre Semana do Meio Ambiente com lançamento do programa de arborização e reflorestamento

A Prefeitura da Vitória de Santo Antão deu início, nesta segunda-feira (07/06), à programação da Semana de Meio Ambiente. A abertura ocorreu no Sítio Histórico Monte das Tabocas e contou com o lançamento do programa VitóriaARborizar, que irá plantar 50 mil mudas de espécies nativas em áreas urbana e rural do município.

A ação é uma iniciativa da Agência Municipal de Meio Ambiente (AMAVISA) e da Secretaria de Agricultura. A Semana dedicada ao debate sobre a preservação do Meio Ambiente tem como objetivo reforçar a importância do cuidado ambiental, da preservação da natureza e da sustentabilidade. A programação se estende até o dia 11 de junho, com ações educativas e plantios de árvores em reservas, assentamentos e unidades industrias.

“Hoje é um grande marco para que nós consigamos uma Vitória mais verde. Nosso foco é estabelecer uma rotina de plantio de árvores. Esse será o maior projeto que Vitória já teve em relação a arborização municipal”, frisou Péricles Tavares, diretor-presidente da Agência de Meio Ambiente.

A iniciativa também irá realizar reflorestamento em áreas distantes do centro da cidade. “É um projeto ousado, trazendo o bem-estar para a população e também preservando as áreas rurais, principalmente as reservas de matas nativas e também as matas ciliares e mananciais de captação de água”, ressaltou Luiz Jorge Júnior, secretário de Agricultura.

O prefeito Paulo Roberto e o vice-prefeito, professor Edmo Neves, participaram do evento e realizaram o plantio da primeira muda. “É com responsabilidade e carinho por essa terra que o programa com certeza, com o apoio de todos os vitorienses, será um grande sucesso”, concluiu o professor Edmo.

O prefeito Paulo Roberto destaca que o trabalho tem sido “incansável desde o primeiro dia da nossa gestão e vamos dar continuidade a esse trabalho, porque é de suma importância para melhorar as condições climáticas do município, porque temos uma cidade devastada, com relação a Mata Atlântica”, frisou Paulo Roberto.

O ato também contou com a participação de secretários municipais, vereadores, do diretor do Instituto Federal de Pernambuco (IFPE), Mauro França, e do presidente do Instituto Histórico e Geográfico, Pedro Ferrer.

Notícias relacionadas

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *